Perguntas Frequentes

Separamos dúvidas que são recorrentes dos nossos clientes que também podem te ajudar

Influencia diretamente na qualidade da impressão e cor que poderá ser alcançada. Quanto mais passadas, maior a qualidade e gama de cores que poderá alcançar.

Sim, mas tem máquinas que após um período de impessão o desgaste é maior que outras. Exemplo disto é a cabeça de impressão e motores, CR e PF.

É a ação da cabeça passar sobre o papel jogando tinta na mídia

Geralmente duas passadas por se tratar de artes de menor resolução. Lembrando que isso dependerá da qualidade final que deseja alcançar.

Geralmente três ou quatro passadas por se tratar de artes com cores mais chapadas. Lembrando que isso dependerá da qualidade final que deseja alcançar.

O fechamento da arte dependerá do software de edição que está sendo usado (CorelDRAW, Photoshop, Illustrator, etc). Geralmente fará pela opção “exportar” e poderá ser feita
em jpg, png, tiff, eps, pdf ou qualquer outro formato de imagem que o Software de impressão aceite.

Geralmente mais de quatro passadas ou qualidade máxima para impressoras de pequeno porte por se tratar de artes que necessitam de uma alta definição. Lembrando que isso
dependerá da qualidade final que deseja alcançar.

O ICC na verdade é o próprio perfil de cores. O que pode ser feito é imprimir com ou sem o ICC. A impressão com com o ICC permite correção nas cores para aproximar da imagem vista no monitor, por exemplo.  Imagens em RGB devem sempre passar pelo ICC antes da impressão pois necessitam dessa conversão. Imagens criadas em CMYK nem sempre precisam do ICC antes da impressão. Isso varia confrme a cor que deseja alcançar.

O padrão CMYK é aplicado em impressoras quando tratamos das tintas que usam para gerar a gama de cores. No caso o C = Cyan, M = Magenta, Y = Yellow e K = Key (cor “chave” que é o Black).

O padrão RGB é aplicado a dispositivos que usam luz. R = Red, G = Green e B = Blue. Com estas 3 cores os monitores, projetores, etc chegam em sua gama de cores.

Não é recomendado deixar a máquina desassistida, pois se falhar algum processo na impressão vai prejudicar todo o trabalho. Pode ocorrer também de bater a cabeça no papel e CLAMP tendo prejuízos em manutenção.

O cálculo de custos deve ser feito pelo software de impressão que está sendo usado. Geralmente terá uma opção de cálculo de custos ou estimativa do trabalho.

Não recomendamos fazer limpezas em sequência, e sim duas vezes com uma pausa de alguns minutos para a próxima.

O custo final do produto se dá com a soma da tinta e papel gastos, quando falamos somente da impressora. Fora isso terá o material usado na aplicação (tecido, caneca, azulejo, etc), mão de obra de operadores, energia elétrica das máquinas (impressora, prensa, calandra etc) entre outros.

Não há como determinar um valor geral para isso, pois as cores, perfil, modo de impressão, impressora, tamanho dos pontos etc influenciam este valor.

Isso pode ser feito com o cálculo de custo do software de impressão e irá variar conforme a imagem.

Conforme o tamanho da bobina de papel e software de impressão. Mas este valor quase sempre ultrapassa os 10 metros.

Isso dependerá da impressora e qualidade final a ser alcançados. Estas variam de qualidade mais baixa (360×360, 360×720, 720×360), intermediário (360×1080, 360×1200, 360×1800, 720×720) e altas (720×1440, 1440×1440, 720×1080, 720×1200, 720×1800, 1440×2880, etc).

Irá mudar a quantidade de passadas e tamanho dos pontos da cabeça de impressão. Quanto maior a resolução, menor fica o ponto e mais passadas dará a impressora, mudando diretamente sua qualidade e velocidade.

A J-Teck possui suporte técnico especializado para seus clientes.

Caso sua dúvida não esteja nessa lista, entre em contato conosco através do telefone (47) 3267-8400 ou pelo contato do site: